EVENTOS

1 OCTOBER

MIRA | Artes Performativas

GALERIE

Adriano Wilfert Jensen & Simon Asencio

18h30

Galerie é uma galeria imaterial para obras de arte imateriais. A missão da Galerie é promover a imaterialidade de objectos: trabalhos que não podem ser reduzidos a um objeto ou à documentação de uma ação. Simultaneamente, a Galerie é uma empresa comercial, uma performance e um projeto de pesquisa. Desde o seu lançamento em 2014, está envolvida em diversas atividades, incluindo o Group Show – uma exposição perfomativa, The Booth – um stand vazio de uma feira de artehere em que os dois galeristas representam obras de arte usando seus próprios meios, The Intensive Curse – um workshop em representação de artistas e de obras de arte, The Grand Opening – uma coreografia de uma vernissage sem obras de arte. Galerie tem trabalhado em locais como Material Art Fair (Cidade do México); Jan Mot (Bruxelas); La Ménagerie de Verre (Paris) ou École Nationale Supérieure des Beaux Arts (Lyon) a.o.

http://www.galerie.international

1 OCTOBER

MIRA | Artes Performativas

Animal Companion

Hana Lee Erdman

18h30

Animal Companion é um trabalho performativo focado em relacionamentos inter-espécies. Aplica os princípios coreográficos das relações inter-espécies através da produção de imagens para suspender os hábitos humanos convencionais e expandir o possível repertório de relações humanas. O trabalho propõe o espaço de arte social como uma arena para alinhar e projetar ‘alteridade’, a fim de colecionar estratégias para um estar juntos. Para mais informações sobre o projeto, siga o link:

http://www.galerie.international/animalcompanion

© Bryony Jackson

3 OCTOBER

Ateneu Comercial do Porto

Figures of Performance: The Pole Dancer, The Cheerleader, The Bondage Master and The Octopus

Daniel Kok

21h30

Nesta palestra, eu irei entrelaçar todo o meu trabalho dos últimos anos, em que percorrerei diferentes “figures of performance” para interrogar perspectivas que redefinem os modos de recepção do espectador e da audiência. Também, tentarei percorrer algumas ideias que me fascinam atualmente, sobre Queerness e o The Female Gaze. Não espero menos do que uma excelente conversa e encontro com as pessoas presentes.

© Aleksandar Ramadanovic

4 OCTOBER

Ateneu Comercial do Porto

Encontro com

Saša Asentić

17h30-20h

A minha prática artística é definida pela consciência das relações específicas entre as pessoas e o contexto em que essas relações são criadas. É uma abordagem ao potencial político de um encontro, em vez do trocar de produtos. Infelizmente, como artistas, temos poucas oportunidades para nos encontrarmos, pensarmos e trabalhamos juntos sem a requisição ou as expectativas para apresentar algo, ou seja, produzir algo no final do encontro como resultado da partilha. Nesta partilha de práticas, eu gostaria de convidar os artistas do Porto para examinarmos juntos e discutir as suas condições concretas de trabalho, meios de produção, preocupações artísticas e modos de organização como material base para a criação do trabalho. Neste processo, também analisaremos, em termos de coreografia social, os mecanismos que estruturam a cena local no Porto. Além disso, gostaria de propor que uma reflexão em conjunto sobre a questão do “class closet” nas artes performativas e as suas formas visíveis e invisíveis que condicionam nosso trabalho e vida.

© Kanako Iwanaka

5 OCTOBER

Ateneu Comercial do Porto

xhe (excerpts)

Daniel Kok

21h30

“Xhe” é um novo trabalho que estou a desenvolver com um amigo de longa data e artista visual, Miho Shimizu, e com Karol Tyminski como performer. O trabalho ainda está a ser construído, mas, no entanto, gostaria de fazer uma rápida exposição deste trabalho e fazer uma demonstração. Desta forma, isto irá permitir-me pôr em prática algumas noções e práticas que irei partilhar neste Symposium.

6 OCTOBER

MIRA | Artes Performativas

Between what is no longer and what is not yet

Juan Dominguez

21h-30

Domínguez quer suspender eventos e criar um intervalo de tempo de forma a que ele possa tentar integrar o seu passado no seu futuro. Ele traduzirá as suas visões e desejos para um encontro com o desconhecido através da linguagem. Dominguez está a trabalhar a solo pela primeira vez em 14 anos. Naquela época, ele coreografou o seu trabalho com cartas rotuladas para que audiência as lesse. Agora, ele falará por si próprio e produzirá um auto-retrato que cita, no sentido mais amplo da palavra, a ele próprio e a alguns dos seus amigos.

Concepção e Performance Juan Domínguez.
Uma produção Juan Dominguez com o apoio de Tanznacht Berlin e Tanzfabrik Berlin/ apap-advancing performing arts project – Performing Europe 2020 / EU – Creative Europe Programme.
Produção Executiva por Manyone

 

© Georg Gatsas

8 OCTOBER

MIRA | Artes Performativas

Encontro com

Ligia Lewis

18h30

Ligia Lewis é coreógrafa e performer residente em Berlim. Ela cria coreografias afetivas enquanto interroga as metáforas e as inscrições sociais do corpo. A sua prática artística é forjada pelas sensibilidades estéticas “brownness” e “blackness”; a inscrição afetiva de estar em baixo enquanto atravessa as qualidades poéticas e anárquicas da “blackness”. O seu trabalho é profundamente pessoal e pode ser descrito como experiencialmente rico e complexo. Dentro da sua prática, Lewis continua a provocar as nuances de incorporações. As suas ultimas produções são: “minor matter”, “Sorrow Swag”, “Sensation 1” and “Melancholy: A White Mellow Drama”.

8 OCTOBER

MIRA | Artes Performativas

Make Yourself. Choreography as expressive machine

Marta Ziólek

19h15

Marta Ziółek is a choreographer and performer. She graduated from Interdisciplinary Individual Studies in the Humanities (MISH) at the University of Warsaw and from the School for New Dance Development in Amsterdam. Her work deals with pop culture and new technologies, identity and new rituals as well as with exploring the borders between visual arts, performance art and choreography.

8 OCTOBER

MIRA | Artes Performativas

Encontro com

Vânia Rovisco

20h

Artista visual performativa, concluiu o Curso para Intérpretes de Dança Contemporânea do Forum Dança (1998-2000). Trabalhou como intérprete com Meg Stuart/Damaged Goods (2001-2007), Pierre Colibeuf; Helena Waldman; Gordon Monahan, entre outros. 2004 começou a fazer direção de movimento, leciona e pontualmente faz coaching desde de 2003. 2007, tomou a decisão de colocar o corpo no contexto da galeria de arte, concebendo instalações e performances, que tornou-se um alicerce na concepção do seu trabalho. Participou na Feira de Arte Contemporânea mOstra14/17. Seu projecto REACTING TO TIME, portugueses na performance, lida com a transmissão do arquivo vivo da performance em Portugal de finais dos anos 60. Recentemente estreou a peça de grupo Equanimidade – Ânimo Inalterável no festival Walk & Talk em Ponta Delgada, Açores.

9 OCTOBER

Ateneu Comercial do Porto

Spectators, unknowns

Maria Jerez

21h30

Formas que não podemos reconhecer, formas que não podemos nomear, entidades que nos colocam num estado de ignorância. E nessa ignorância, há um abismo. Algo para o qual, os nossos mecanismos de percepção e classificação não funcionam mais. Algo que se quebrou nele em que os cancela. Uma coisa que não pode ser medida, que não pode ser nomeada, que não pertence às ferramentas de medida habituais. Nesse abismo há medo e prazer ao mesmo tempo. Portanto, o espectador dessas formas é um estranho de si mesmo; uma vez que os viu e não pode nomeá-los, o espectador vê-se a ele próprio pela primeira vez.

10 OCTOBER

Ateneu Comercial do Porto

News From The Last of the International Hotshots part 2

Encontro com Mårten Spångberg

21h30

Uma jovem americana que lê uma introdução à arte moderna. Uma rapariga com um nariz demasiado proeminente para a sua voz. Pinturas que não são o que parecem ser. Distâncias que são apenas o que são e nada mais. Impostores (um grupo inteiro), sedutor e preto, impossíveis de negligenciar porque são reconhecíveis. Um romancista francês que usa frases curtas de staccato. A escuridão que varre, que cai sobre nós como uma manta cinza é como a recepção de um prédio de escritórios de tamanho médio. A escuridão proeminente nasce, uma escura escuridão drenada também dos traços de alguma coisa. A noite é o círculo duplo que se devora a si própria enquanto os seus corpos transformam-se em paisagens erógenas – tudo é igual e agora. Nada está em exibição aqui, nada para escutar, mas do nada emerge uma escuridão líquida que inunda as nossas mentes, que pode ser ouvida. A voz que retorna, inverte-se como Robert Pattison.

11 OCTOBER

Escola Secundária Alexandre Herculano

Power by Emotion

Mårten Spångberg

21h30

“Powered by Emotion” é uma criação e performance de Mårten Spångberg, originado a partir de um desejo de dançar e cantar sem ter acesso à habilidade e à capacidade técnica em relação à produção de, por um lado, território e, por outro, talvez mais tangível, noções de identidade e pertença. Começando com um interesse entre o território e a potencialidade política, o coreógrafo explora dois materiais artísticos sobredeterminados, o filme de Walter Verdin para as Variações Variantes Goldberg de de J.S. Bach e as músicas do Buena Vista Social Club. Através da incapacidade do performer e da relação insípida com o material, parece-nos que o espectador é instado a reconsiderar as políticas da Estética. O que vemos e ouvimos são e não são a dança de Steve Paxton e as músicas românticas do Buena Vista Social. Powered by Emotion é uma artificialidade completa na sua forma mais natural.

Música Johann Sebastian Bach, Buena Vista Social Club
Apoio Tanz im August, Swedish Art Council e The Arts Grants Committee
Agradecimentos Mette Ingvartsen
Premiere Agosto 2003

 

© Marta Popivoda: Yugoslavia How Ideology
Moved Our Collective Body. 2013, film still

12 OCTOBER

Ateneu Comercial do Porto

Critical theory, theoretical-artistic research, and working in collective

Encontro com Ana Vujanović

21h30

Sendo uma trabalhadora da área da cultura vinda de Belgrado, onde o brutal contexto social do final da década de 1990 e início dos anos 2000 influenciou fortemente a minha própria existência, desenvolvi uma pulsão profunda nas artes e nas fortes preocupações sociais ao mesmo tempo. Como resultado, o meu trabalho é caracterizado pela prática de teoria crítica, pela realização de projetos de investigação teóricos e artísticos, e trabalho em diversas estruturas coletivas. Uma vez que eu acho que seja específico para mim e ao mesmo tempo típico do contexto de onde eu venho, acredito que seria interessante apresentar esse enquadramento publicamente, agora que eu trabalho na aquilo que é denominado como ‘cena internacional’.

12 OCTOBER

Ateneu Comercial do Porto

Stalking Stalker: the Baltic winter expedition

Inês Moreira

22h30

A vida leva-nos aos lugares mais singulares e inesperados, como descobri quando me deparei a passar tempo sozinha na “The Zone”, seguindo os passos do Stalker de Andrei Tarkovski. Irei compartilhar os traços remanescentes de uma experiência individual na região do Báltico, no inverno 2016/17. [Com o apoio do Air Baltic]

© Julie Lèfevre

15 OCTOBER

MIRA | Artes Performativas

Encontro com

Katerina Andreou

18h30

Katerina Andreou é performer e coreógrafa de Atenas e vive na França. Formou-se na Universidade de Direito de Atenas e na Escola de Dança da Grécia. Frequentou o mestrado ESSAIS em investigação e coreografia na CNDC d ‘Angers, sob a direção de Emmanuelle Huynh. Participou no projeto TRANSFABRIK, uma investigação sobre a curadoria na França e na Alemanha, dirigida por Franz Anton Cramer e Yvanne Chapuis. Andreou é membro do colectivo Emanticipation, iniciado por Emmanuelle Huynh e François Quintin. Ela colaborou com DD Dorvillier, Lenio Kaklea, Dinis Machado, Emmanuelle Huynh, Anna Gaiotti, Ana Rita Teodoro. A sua última produção A kind of fierce foi premiada com o Prix Jardin d’Europe no ImpulsTanz Festival 2016.

15 OCTOBER

MIRA | Artes Performativas

Something doing

Lilia Mestre

19h15

Lilia Mestre (Lisboa, 1968) é uma artista e investigadora de artes performativas baseada em Bruxelas, onde trabalha principalmente em colaboração com outros artistas. Ela interessa-se pela prática artística como uma ferramenta de mediação entre os vários domínios da existência semiótica. Seu principal médium é a dança e coreografia. Mestre trabalha com assemblages, scores e estratégias inter-subjetivas como artista, curadora, dramaturga e professora. Ela foi co-fundadora e coordenadora do Bains Connective Art Laboratory. Desde 2008, foi mentora, orientadora de workshops e curadora associada do programa a.pass ((advanced performance and scenography studies), onde tem vindo a desenvolver uma pesquisa em scores como uma ferramenta pedagógica com o nome de ScoreScapes. Desde 2017, é co-diretora e coordenadora artística do a.pass.

19 OCTOBER

Ateneu Comercial do Porto

Encontro com

Björn Säfsten

21h30

No trabalho e na prática artística do coreógrafo Björn Säfsten, o corpo e a mente e as acções que conectam estes, são escrutinados, dissecados e expostos. O foco é criar um “outro corpo”, outra noção de fisicalidade humana, dando vida às imagens que problematizam visualmente a nossa noção de natureza humana. A prática física expõe imagens que ocorrem a partir de uma determinada acção física, num método casual. O trabalho, portanto, vai se alterando visualmente e curva-se, muitas vezes moldando-se enquanto se realiza, actualizando-se a ele próprio para cada novo encontro com público. A companhia de Björn Säfsten é a Säfsten Production e funciona como plataforma para criatividade e experimentação coreográfica. Um nó de pontos de vista teóricos e práticos, onde artistas juntam-se para para especular e visualizar criticamente coreografia, política, linguagem e produção de identidade. Através de diferentes tipos de conceitos e trabalhos em palco, ambos auto-iniciados e comissionados, Björn Säfsten cria arte coreográfica em estreita colaboração com sua actual equipe artística. Säfsten é investigador na The University of Fine Arts Umeå Sweden 2012 – 2015, onde desenvolveu o projeto De-creation de uma praxis anfíbia com o Filósofo Per Nilsson. Atualmente, Säfsten está a circular com seus trabalhos Prologue (2016) e está a criar um nova produção ”Landscapes of I” em co-produção com Riksteatern Suécia com estreia em 2018.

19 OCTOBER

Ateneu Comercial do Porto

Encontro com

Andros Zins-Browne

22h30

Andros Zins-Browne (1981, Nova Iorque) é um coreógrafo americano que mora e trabalha em Bruxelas. Seu trabalho consiste em produzir ambientes híbridos e ao vivo numa interseção entre instalação, performance e dança conceptual. As performances de Zins-Browne foram apresentadas no Centro Pompidou, DeSingel, EMPAC, HAU, ICA London, Kaaitheater, MDT, Stedelijk Museum Amsterdam e o Impulse Festival, neste último recebeu um Goethe Institute Award para o espetáculo “The Host”. O seu solo,“Already Unmade”, comissionado pela Fundação Boghossian, foi realizado recentemente no BOZAR Museum em Bruxelas e no Museu Whitney na cidade de Nova Iorque. Em 2013, Andros fundou The Great Indoors, uma associação para investigação e produção artística.

20 OCTOBER

Ateneu Comercial do Porto

Authorship from a Performer's Perspective

Chrysa Parkinson

21h30

“Eu não posso ser necessariamente o autor da minha imagem no palco como performer, mas posso ser o autor da minha experiência escolhendo o que é relevante na minha experiência para este papel específico e, novamente, para o próximo. Encontrar a plasticidade na fronteira entre no que me incluo e no que faço de, concede uma lacuna produtiva que produz uma agência particular e específica, cedendo e criando forma. Esta é uma prática contínua e volátil, repleta de falhas. “Chrysa Parkinson (Material for Movement and Thought, Cecilia Roos, Firework Edition 2013)