MÓDULO II

7 a 13 DE OUTUBRO

7 a 8 de Outubro

MIRA | Artes Performativas

Fire work with me

Marta Ziólek

10h-12h

O poder emancipatório da raiva.

A raiva tem a sua abertura a partir do meridiano do olho. De acordo com a medicina chinesa, manifesta-se em madeira e no verde. Os órgãos que correspondem à raiva são o fígado e a vesícula biliar. Quando eu fico com raiva, sinto a bile. Os meus tendões estão presos. A amígdala estimula a secreção da adrenalina. Sinto uma onda de energia. Estou pronta para lutar. Mais sangue flui para as minhas mãos. Eu poderia agarrar uma arma. O meu coração bate mais rápido. As pupilas estão a expandir-se. Estou a começar a suar. A raiva faz-me querer gritar, mas muitas vezes não me deixa falar. Faz-me queimar por dentro. A demolição requer o esforço para assumir um olhar e o poder do espelho. Às vezes, a raiva é o primeiro passo para quebrar o espelho e para nos encontrarmos no outro lado. Pisar com força e a terra irá mover-se. Esta prática investiga o poder emancipatório da raiva em relação com a anatomia emocional e a sexualidade do corpo.

© Georg Gatsas

7 a 8 de outubro

MIRA | Artes Performativas

Ligia Lewis

Ligia Lewis

14h-16h

Como parte do programa da MEZZANINE, Ligia Lewis discutirá o seu processo de apresentação de problemas nas convenções do teatro por meio de uma poética que surge através do afecto, da incorporação e do enredamento da performance no espaço em que se realiza.

7 a 8 de outubro

MIRA | Artes Performativas

In Magin Ation for Mat

Vânia Rovisco

16h-18h

Começa com o enraizamento de cada indivíduo dentro de um espaço físico e mental, para deixar o trabalho emergir de uma fonte que tem mais conhecimento e consciência de si mesmo. Há sempre um momento crucial quando ensino, que é a necessidade que eu tenho de me focar em cada pessoa. Assim, cria-se o espaço para mostrar um pequeno corpo de trabalho, que é então “quebrado” e também “invertido”, para que desta forma se realize um re-assemblagem no final de cada sessão com mais informações adjacentes. O processo será feito coletivamente, uma vez que o tempo é limitado, mas o objetivo será em observar as mudanças que ocorrem. O dia inicia-se com um intensivo aquecimento coletivo.

9 de outubro

Ateneu Comercial do Porto

The Jungle

Maria Jerez

10h-12h30 | 14h – 16 h

Esta prática cria um espaço de conhecimento compartilhado. Um espaço onde coexistem objetos de diferentes naturezas. Um microcosmo misterioso onde uma miríade de objetos heterogéneos é desordenada, aparentemente num caos. O interesse desta prática permanece na fronteira, nas novas relações que podem aparecer nesta coexistência de “coisas” que não são supostas de estarem juntas. Um espaço onde coisas, objetos, funções, acções, danças, lógicas, ficções, sobrepõem-se … um espaço que é uma amálgama de espaços … Esta prática procura o desenvolvimento de um olhar desordenado onde o observador muda constantemente de estado porque, o que ele olha, propõe uma multiplicidade de visões e modos de atenção muito diferentes … desta forma o observador deixa de ser um espectador para se tornar um editor, um colaborador, um ouvinte, um escritor, um observador, uma testemunha, um investigador, um amigo …

9 a 11 de outubro

Ateneu Comercial do Porto

All Good On The Eastern Flank / Maarja

Mårten Spångberg

16h30-19h30

Maarja é como entrar na água e desaparecer, como ser velho e saber que o seu futuro está a chegar ao fim. É uma espécie de estar à espera sentado para começar algo e a seguir, um género de erotismo de um grupo de polvos que não pertencem juntos. Estes vivem enquanto tu andas para muito longe e onde está realmente escuro. Não há fundo para coisas, mas um livro aberto é duas vezes mais largo.

10 a 13 de outubro

Ateneu Comercial do Porto

Practice of theoretical-artistic research

Ana Vujanović

10h-12h30

A “investigação artística”, bem como a “inter-” e “transdisciplinaridade” foram recentemente noções proliferadas na esfera artística. No entanto, dado que tenham sido adoptadas como práticas regulares, ainda não é claro, o que estas significam exatamente, e especialmente quais são os seus métodos, ferramentas e possíveis resultados. Uma vez que a investigação teórico-artística está entre as principais especificidades da minha própria obra, gostaria de compartilhá-la com outros colegas de uma forma aberta, em que juntos articulemos os instrumentos pelos quais, em última instância, a criação artística desafia a especulação teórica e vice-versa.

10 a 13 de outubro

Ateneu Comercial do Porto

Curating in/on/through space

Inês Moreira

14h-16h30

Desde há alguns anos que me tenho envolvido com arquiteturas acidentadas, ambientes construídos e outros territórios humanos (como os espaços pós-industriais), desenvolvendo projetos multidisciplinares através de trabalho de campo, investigação laboratorial e de publicações em locais académicos e culturais. As investigações resultaram em exposições, projectos específicos e projectos editoriais. Como investigadora/curadora, estou interessada nas epistemologias da curadoria, especialmente nas estratégias para a curadoria do espaço, nas críticas à tecno-cultura e, em geral, nas culturas contemporâneas urbanas e visuais. Durante estas horas, iremos juntos visitar alguns espaços, conceitos e ideias em torno da curadoria do espaço.